quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A Grande Mentira

Um jornal «de referência» informou hoje que um qualquer senador brasileiro achou que o seu país se desprestigiava acolhendo na sua embaixada, nas Honduras, o presidente Zelaya deposto por um golpe militar. O jornal é «de referência» porque, assim dito, foge à eterna questão de se saber que diário temos no país com qualidade suficiente para ser entre todos «o melhor». Mas, modéstia à parte, pretende tornar equivalentes as duas designações.
Porém, no jornal que por cá é «dos melhores» ainda nada vi sobre o que na realidade se passa em Tegucicalpa, onde foi e continua imposto o recolher obrigatório e abolidas as liberdades democráticas constitucionais sob o comando do governo de facto, isto é, da ditadura instalada. O povo que se manifesta na rua a favor do presidente democraticamente eleito sofre violenta repressão. Sangue, ferimentos, detenções, mortes sobretudo em torno da embaixada brasileira onde Zelaya encontrou refúgio depois de ser posto no exílio.
Tão-pouco disse uma letra sobre ataques com gases tóxicos disparados contra multidões de manifestantes. E nem a sombra de uma letra forneceu aos leitores quanto a um dispositivo sofisticado, dito «de ponta», fornecido por Israel, que emite para a multidão algo como radiações intoleráveis, pois provocam perturbações físicas bastante graves. O sangue torna-se invisível antes de cair na rua e os mortos não contam.
Órgãos de informação democráticos, apoiantes do presidente Zelaya, ficam amordaçados. Rádios, jornais, cadeias de televisão são tomados de assalto por tropas entre encapuzados que levam consigo tudo o que entendem. A liberdade de imprensa, nas Honduras, jaz morta e arrefece - mas estes acontecimentos não chegam à nossa informação «de referência» decerto porque a capital daquele país latino-americano ficou isolada do mundo exterior, algures do outro lado da Lua.
Atenção, pois, ao que diz o senador brasileiro. Atenção à Casa Branca. Atenção ao Pentágono. Perdura o unilateralismo, proclamando a Verdade Única, poleiro da Ditadura. E viva a Mentira Geral!

Sem comentários: